Unidades

2005 - 2014



Instituto Internacional de Neurociências de Natal – Edmond e Lily Safra (IINN-ELS)
Centro de Pesquisas e Estudos Prof. César Timo-Iaria – Natal, RN

A primeira unidade do IINN (posteriormente renomeado IINN-ELS, como resultado de parceria com a Fundação Edmond Safra) foi estabelecida em um prédio alugado pela AASDAP, localizado no Bairro Candelária em Natal, nas proximidades da antiga favela da Viasul. Sua missão foi propiciar o desenvolvimento de pesquisa em Neurociências, por meio da transferência da tecnologia de interface cérebro-máquina (ICM) desenvolvida no laboratório do Dr. Nicolelis na Duke University; da realização de pesquisas em roedores nas linhas de biocompatibilidade de eletrodos, investigação dos mecanismos neurais de sono e memória, e Doença de Parkinson; e da capacitação de pesquisadores brasileiros.


O Centro de Pesquisa e Estudos Prof. César Timo-Iaria possuia 07 laboratórios para estudos de neurobiologia celular, molecular, eletrofisiologia de ratos e de camundongos, neuroengenharia, neuroimagem e neurociência computacional, 03 biotérios (de ratos Wistar, de ratos Long Evans e de camundongos selvagens e DAT-KO - nocaute para dopamina), 02 centros cirúrgicos (de ratos e de camundongos), biblioteca, salas de pesquisadores e auditório.


Colaborações científicas realizadas entre pesquisadores da AASDAP, Duke University, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e outras universidades brasileiras, possibilitaram que dezenas de alunos de graduação e pós-graduação brasileiros desenvolvessem suas pesquisas nesta unidade. Apoiados por projetos da AASDAP, os alunos tiveram acesso a equipamentos, materiais, animais experimentais, estrutura e serviços necessários para o desenvolvimento de suas pesquisas, além de bolsas de estudo e apoio financeiro para participação em eventos científicos concedidos a uma parte significativa deles.


Em agosto de 2013, iniciou-se neste centro o Programa de Mestrado em Neuroengenharia da AASDAP, reconhecido e recomendado pelo Conselho Técnico e Científico (CTC) da CAPES.


Em 2014 este centro foi atingido por uma grande enchente e, a partir de então, as atividades ali realizadas foram transferidas para o Centro de Pesquisa de Macaíba, implantado em 2007.

Fachada do Centro de Estudo e Pesquisa Prof. César Timo-Iaria em Natal, Rio Grande do Norte. Laboratório de Neurobiologia Celular. Laboratório de Neuroengenharia. Dr Miguel Nicolelis acompanhando experimento de registro de atividade elétrica de neurônios (Foto: Cristobal Corral Vega). Laboratório de Neurobiologia Molecular. Laboratório de Eletrofisiologia e Comportamento. Laboratório de Eletrofisiologia e Comportamento. Laboratório de Neuroimagem Laboratório de Neurociência Computacional. Laboratório de Neuroprostética.

2005 - 2011



Laboratório Prof. César Timo Iaria – São Paulo, SP

Como parte da parceria com o Hospital Sírio Libanês, o Laboratório da AASDAP foi estabelecido no Instituto de Estudos e Pesquisas (IEP), com espaços especializados para realização de pesquisa em neuroengenharia, neurobiologia celular e eletrofisiologia.

Neste laboratório foram realizados estudos e capacitação em Neurociências de pesquisadores, cirurgiões e profissionais clínicos, com foco em biocompatibilidade de microeletrodos e registro eletrofisiológico em roedores e em pacientes com Parkinson.

Em adição, colaborações com pesquisadores da Duke University, do IINN e da USP possibilitaram que alunos de graduação, Mestrado e Doutorado desenvolvessem suas pesquisas nesta unidade, orientados ou co-orientados por pesquisadores da AASDAP nas linhas de pesquisa realizadas no laboratório. A partir de 2007, este laboratório também passou a realizar pesquisa sobre sensibilidade do paladar.

As atividades neste laboratório foram finalizadas em dezembro de 2011.

Laboratório de Neuroengenharia. Laboratório de Neuroengenharia. Laboratório de Neurobiologia Celular. Laboratório de Microscopia. Laboratório de Comportamento e Eletrofisiologia.

2007 - 2014



Escola Alfredo J. Monteverde (EAJM) – Natal, RN

A Escola Alfredo J. Monteverde foi a primeira unidade de educação científica do IINN, estabelecida em um prédio alugado pela AASDAP no Bairro Nova Esperança em Natal. Sua missão foi propiciar educação científica a crianças e adolescentes do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental II, oriundas de escolas públicas situadas no entorno da EAJM. A Escola iniciou suas atividades em fevereiro de 2007 atendendo 400 crianças e a partir de junho do mesmo ano o número de alunos aumentou para 600.


Na EAJM, em horário contrário ao da escola regular, os alunos participavam de oficinas de Robótica, Ciência & Tecnologia, Ciência & Arte, Informática, Física, Química, Biologia e História, nas quais eram apresentados a conteúdos teórico e prático e estimulados a desenvolver a consciência crítica, entendendo a importância da aplicação do conhecimento na análise e resolução de questões no dia-a-dia. Durante a permanência na EAJM os alunos também utilizavam a biblioteca, o espaço de convivência - onde interagiam com colegas, professores e funcionários da escola, e o refeitório - onde recebiam seus lanches.


Ao final de cada semestre a EAJM realizava mostras científicas abertas ao público, propiciando aos alunos a oportunidade de apresentar os projetos desenvolvidos em aula aos familiares, educadores e demais pessoas da comunidade.


Além da formação dos alunos, a EAJM também realizava um programa de formação de seus educadores e dos educadores das escolas públicas de origem dos alunos, possibilitando a troca de experiências e reflexões sobre os trabalhos desenvolvidos e visando a formação de parcerias e a melhoria da qualidade de ensino e aprendizagem das escolas alvo.


A partir de 2014, a gestão desta unidade passou a ser feita pelo Instituto Santos Dumont.

Fachada da Escola Alfredo J. Monteverde em Natal, Rio Grande do Norte. Profa. Dora Montenegro, Diretora dos Centros de Educação Científica da AASDAP. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Dr. Miguel Nicolelis em atividade com alunos na Escola Alfredo J. Monteverde. Dr. Miguel Nicolelis em atividade com alunos na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Aula do Dr. Miguel Nicolelis aos alunos da EAJM. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde. Mostra dos trabalhos dos alunos da EAJM ao público. Formação continuada dos educadores das unidades Natal e Macaíba.

2007 - 2014



Instituto Internacional de Neurociências de Natal - Edmond e Lily Safra - (IINN-ELS)
Centro de Pesquisas – Macaíba, RN

Esta unidade foi estabelecida em um prédio dentro do terreno da Escola Agrícola da UFRN, localizada no distrito de Jundiaí, município de Macaíba. Originalmente esta deveria ter sido a primeira unidade piloto do centro de pesquisa do IINN, mas tendo sido estabelecido o Centro de Pesquisas e Estudos César Timo-Iaria em 2005 em Natal para pesquisas com roedores, a unidade Macaíba se tornou o centro de pesquisas em primatas.

O Centro de Pesquisas de Macaíba contemplou laboratórios para estudo de neurobiologia celular, molecular eletrofisiologia, neuroengenharia, neuroimagem e neurociência computacional, criadouro de primatas credenciado pelo IBAMA, centro cirúrgico, biblioteca, salas de pesquisadores e auditório.

Assim como nas demais unidades de pesquisa da AASDAP, alunos de graduação e pós-graduação brasileiros desenvolveram suas pesquisas nesta unidade, em estudos relacionados principalmente ao uso de interface-cérebro máquina no tratamento de modelos animais parkinsonianos.

Em 2014, com a desativação do Centro de Pesquisa de Natal, todas as pesquisas e atividades do Programa de Mestrado em Neuroengenharia passaram a funcionar nesta unidade. Neste mesmo ano, a gestão desta unidade passou a ser feita pelo Instituto Santos Dumont.

Fachada do Centro de Pesquisa de Macaíba. Auditório Alberto Santos Dumont. Auditório Alberto Santos Dumont. Laboratório de Neurobiologia Celular. Laboratório de Neuroimagem. Laboratório de Eletrofisiologia e Comportamento.

2007 - 2014



Escola Alfredo J. Monteverde (EAJM) – Macaíba, RN

A EAJM Macaíba foi estabelecida dentro do terreno da Escola Agrícola da UFRN localizada no distrito de Jundiaí. Originalmente esta deveria ter sido a primeira unidade piloto da escola de educação científica do IINN, mas com a instalação da EAJM em Natal foi possível adiantar o início das atividades de educação científica em alguns meses e expandir o número total de alunos atendidos pelo programa no Rio Grande do Norte.

A EAJM Macaíba iniciou suas atividades em setembro de 2007 atendendo 200 crianças, e a partir de fevereiro de 2008 o número de alunos aumentou para 400. O público-alvo desta unidade foi crianças e adolescentes do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental II da rede pública de ensino de Macaíba. Estes alunos participavam das atividades da EAJM em horário contrário ao da escola regular, nas oficinas de Ciência & Tecnologia, Ciência & Arte, Ciência & Identidade, Ciência & Movimento, Ciência & Ambiente, e Informática. Durante a permanência na EAJM os alunos também utilizavam a biblioteca, o espaço de convivência - onde interagiam com colegas, professores e funcionários da escola, e o refeitório - onde recebiam seus lanches.

Da mesma forma como na EAJM Natal, ao final de cada semestre os alunos participaram de mostras de seus projetos ao público. Esta unidade também contou com um programa de formação de educadores próprios e das escolas públicas de origem dos alunos.

A partir de 2014, a gestão desta unidade passou a ser feita pelo Instituto Santos Dumont.

Fachada da Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Fachada da Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Interior da Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Interior da Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Aula do Dr. Miguel Nicolelis aos alunos da EAJM. Aula do Dr. Miguel Nicolelis aos alunos da EAJM. Aula do Dr. Miguel Nicolelis aos alunos da EAJM. Aula do Dr. Miguel Nicolelis aos alunos da EAJM. Memorial da Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Alunos em atividade na Escola Alfredo J. Monteverde em Macaíba. Mostra dos trabalhos dos alunos da Escola Alfredo J. Monteverde ao público.

2008 - 2014



Centro de Saúde Anita Garibaldi (CSAG) – Macaíba, RN

Esta unidade foi estabelecida em Macaíba, com a missão de oferecer atendimento e acompanhamento médico totalmente gratuito a gestantes com gravidez de alto risco e crianças com distúrbios neurológicos.

Inserido no Sistema Único de Saúde (SUS), este Centro realizou em média 12.000 atendimentos anuais, funcionando como serviço de referência nas áreas de pré-natal de alto risco, medicina fetal, patologia do trato genital inferior, puericultura, pediatria, neurologia infantil, ultrassonografia, psicologia clínica, fisioterapia e estimulação precoce dos recém-nascidos de maior risco perinatal.

Além dos atendimentos à população, o Centro de Saúde, mediante convênio firmado com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte, desempenhou o papel de Centro de Saúde Escola, atuando em educação médica e multiplicação do conhecimento técnico-científico, através de práticas acadêmicas e estágio curricular obrigatório a estudantes de graduação e pós-graduação, nas áreas de ginecologia e obstetrícia, pediatra, radiologia e psicologia, perfazendo uma média de 100 alunos/ano.

A partir de 2014, a gestão desta unidade passou a ser feita pelo Instituto Santos Dumont.

Fachada do Centro de Saúde Anita Garibaldi. Fachada do Centro de Saúde Anita Garibaldi. Interior do Centro de Saúde Anita Garibaldi. Dr. Reginaldo Freitas, Diretor do Centro de Saúde, em atendimento. Dr. Reginaldo Freitas, Diretor do Centro de Saúde, em atendimento.

2010 - 2014



Centro de Educação Científica em Serrinha (CECS) – Serrinha, BA

A exemplo das Escolas Alfredo J. Monteverde, esta unidade foi estabelecida em Serrinha, no semi-árido Baiano, com a missão de promover o ensino de ciências a crianças e adolescentes do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental II da rede pública, no período oposto ao da escola regular.

O Centro de Educação Científica em Serrinha atendeu anualmente 400 crianças e adolescentes que participaram das oficinas de Ciência & Ambiente, Ciência & Arte, Ciência & Tecnologia e Ciência & Robótica. Além dos espaços das oficinas, os alunos também utilizavam biblioteca, área de convivência e refeitório. Seguindo a metodologia aplicada nas EAJM, ao final de cada semestre o CECS realizava mostras científicas abertas ao público, propiciando aos alunos a oportunidade de apresentar os projetos desenvolvidos em aula aos familiares, educadores e demais pessoas da comunidade. O CECS também contou com um programa de formação de seus educadores e de educadores das escolas públicas de origem dos alunos.

A partir de 2014, a gestão desta unidade passou a ser feita pelo Instituto Santos Dumont.

Fachada do Centro de Educação Científica em Serrinha. Alunos em atividade no Centro de Educação Científica em Serrinha. Alunos em atividade no Centro de Educação Científica em Serrinha. Alunos em atividade no Centro de Educação Científica em Serrinha. Alunos em atividade no Centro de Educação Científica em Serrinha. Alunos em atividade no Centro de Educação Científica em Serrinha. Mostra de trabalhos dos alunos do Centro de Educação Científica em Serrinha ao público. Mostra de trabalhos dos alunos do Centro de Educação Científica em Serrinha ao público.

2013



Laboratório do Projeto Andar de Novo – São Paulo, SP

Esta unidade foi estabelecida para possibilitar a pesquisa e desenvolvimento de um exoesqueleto controlado pelo cérebro, capaz de restaurar a locomoção em pessoas com lesão medular. O laboratório iniciou suas atividades nas instalações da AACD em São Paulo, sendo transferido em 2015 para um espaço mantido pela AASDAP, onde funciona até o momento.

O laboratório foi projetado para realização de pesquisas de neuroreabilitação - que inclui atividades de fisioterapia convencional, treino de marcha robótica e treino de marcha assistido com suspensão parcial de peso, treino com realidade virtual e avaliações clínicas - e para desenvolvimento de tecnologias de interface cérebro-máquina.

Assim como as demais unidades de pesquisa da AASDAP, o Laboratório do Projeto Andar de Novo também atua na capacitação científico-tecnológica de pesquisadores e profissionais clínicos.

Foto panorâmica do Laboratório do Projeto Andar de Novo. Foto panorâmica do Laboratório do Projeto Andar de Novo. Foto panorâmica do Laboratório do Projeto Andar de Novo. Foto panorâmica do Laboratório do Projeto Andar de Novo (vista superior). Foto panorâmica do Laboratório do Projeto Andar de Novo (vista superior).